Tuesday, July 08, 2008

E eu percebi que além de tudo eu realmente sinto muito.

Estava pensando na minha péssima capacidade de me expressar quando fico nervosa e nas tentativas que não terminam, estava pensando no meu egoísmo de simplesmente querer, estava pensando no falar demais quando não se precisam palavras, estava pensando em desperdício.
Desperdício de momentos, desperdício de pessoas que talvez nunca mais voltem.
Eu só queria ter feito diferente desde o início.

O ser humano é o ser do desperdício, em todos os sentidos. Tudo o que parece que há de sobra, não se dá o valor desejado, mas um dia, "a fonte seca", e vem daí, a famosa "dor da perda".

Queremos tudo e não queremos nada: damos mais valor àquele tão esdrúxulo amor platônico, mesmo sabendo que este, nunca nos levará às estrelas. É como se a atração se baseasse nisso.

Valorizar. Falta muito disso. Acho que sempre faltou.