Tuesday, March 31, 2009

Cigarettes and Vanilla

(Não falo de Vanilla Cigarettes)

Combinação esquisita. É como fogo e água juntos no mesmo recipiente. O calor com o calor específico necessário altíssimo, e ainda sim os dois conseguiriam se manter no mesmo recipiente (verossimilhaça, por favor).
De um lado ha feições delicadas inclusive nos pelos mais finos e lourinhos espalhados pelo corpo, de outro uma incapacidade de ver a beleza das coisas e um espírito enérgico nada sutil.
De um lado alguem que manda você parar de se importar e de outro, a pessoa que mais chora quando vc mostra que se importa.
Ela desaprendeu a ver o mundo com olhos maravilhados e curiosos quase esverdeados que se tornaram castanhos, profundos e desesperançosos.
Um gole de vodka de manhã. Por que não? "O alcool faz a gente esquecer." "O alcool faz a gente parar de ligar".
Ela sempre sai. Não gosta de ficar em casa.Não gosta de se lembrar. Evita pensar. Foge dos horrores da realidade e entra num mundo de horrores virtuais. "Paraísos artificiais".
Seu perfume de baunilha-quase-chocolate-branco perde as forças e é envolto pelo perfume do tabaco. Seu quarto não tem mais cheiro de pele nova. Sua pureza toda se foi, dela restaram os traços: o nariz empinado rasgado e marcado com uma argola prateada de aço e o seu sorriso sincero, agora pouco frequente.
Sua fé e sua inocência foram substituídas por acomodação e cansaço.

Crescer mais parece um abismo.

Friday, March 20, 2009

Não tenho família.

Odeio cada nanometro cúbico dessas pessoas que nao sabem dar valor a nada e pra quem tudo é muito cômodo.
Odeio cada tentativa frustrada minha de tentar transformar a comodidade em segurança.
Odeio deixar de fazer o que eu quero/acredito e gosto por esses seres que não sabem fazer o mesmo.
É a quadragésima sétima vez que eu digo: não faço mais nada por nenhum deles, e que sei que não vou cumprir.
A única que se salva é no final aquela pessoas que vc reclamou por tantos anos devido ao fato de ser superprotetora, mas vc não entendia a profundidade disso. Ela pode ser chata e meio pão dura, mas falando de valor a família, nesse inferno todo, ela é a que mais sabe dar.

Desculpa, mas a única coisa que estou sentindo agora é um ódio profundo a todos vocês que não lerão esse post, pq sequer ligam pro que eu sinto, penso ou escrevo. Uma hora passa. Mas no momento, eu não agüento mais. Acho que é uma situação que apenas aceito há anos. Mas não gosto e nunca vou gostar. Eles que morram sozinhos, cada um na sua redoma de vidro com todas as regalias que querem pra si. Egoístas de merda. Estúpidos e egocêntricos. Acomodados e medíocres. Que seja sempre como se não compartilhassemos mesmos genes. Sejamos sempre comop tartarugas: colocados no mundo pra seguirmos nossos caminhos sozinhos e encontrarmos o bando se dermos sorte e conseguirmos camuflagem pra nos esquivarmos dos predadores. É o mundo. Eu queria muito acreditar em família, mas falando em humanos, parece até que é cultural. No fundo no fundo, os pais só servem pra o alimentar enquanto vc não tem idade pra ir caçar e colher sozinho. Alguns, até antes disso já são abandonados. Não é só o casamento que é uma instituição falida. A família como um todo o é.

Tuesday, March 17, 2009

Cansei de ser criança

Cansei de ficar altamente efusiva por situações irrisórias.
Cansei de morrer de rir.
Cansei de morrer de chorar.
Cansei de me apaixonar perdidamente por pessoas diferentes e por personagens diferentes em uma mesma semana.
Cansei de usar hipérboles.
Cansei de dormir todos os dias como se estivesse hibernando,
e de ter mal humor ao acordar.
Cansei de sempre querer me vingar (mesmo quando isso implica em rir com o choro dos outros, quer eles vejam, quer não).
Cansei de esperar demais das pessoas.
Cansei de querer proteção.
Cansei de esperar um que um super herói aparecesse na minha janela e querer que ele salvasse o mundo.
Cansei de comer chocolate quando estou triste.
Cansei de amar uma tigelinha de Froot Loops com leite no lanche da tarde.
Cansei de preferir passar o tempo com o papai do que ir para uma balada, beber todas e fazer um sexo loco (aliás, não sei se prefiro ficar com o papai ou fazer sexo)
Cansei de fazer coisas para tentar agradar.
Cansei de unhas colorisíssimas e de roupas pretas - cansei de querer provar pros outros quem eu sou.
Cansei de querer me ofuscar, cansei de tentar me encaixar.
Cansei de nunca colocar os pés no chão,
cansei de tanto sonhar.

Cansei,
mas não consigo parar.

Friday, March 13, 2009

Não julgar.

Como eu vivo insistindo e gritando para todos que quiserem ouvir, o mundo melhoraria com amor universal e respeito proveniente desse tal amor ao proximo. A partir disso, eu aprendo cada dia mais lições interessantes sobre o próximo que me fazem acreditar ainda mais nessa filosofia.
Hj eu estava conversando com um menino. Lindo. Biofísico e... curte um funkzão. Até aí achei que ele fosse simplesmente tosco, inclusive pq, a menina que ele quis, entre todas, foi a que todos quiseram. Sussa, o que mais tem no mundo é menino tosco... e lindo! (ahhahahahaha)
Hj foi a primeira vez que bati um papo com ele. Um papo do que nao esperava nada... e deram frutos. Deram frutos pq descobri o quão incrível ele é. Mesmo sendo lindo, gostando de meninas 'padrãomente bonitinhas' e curtindo o batidão nos finais de semana, ele sabia muito bem o que era meu pentagrama, coisa que meu pai, que eu dizia ser "fodão" não sabia. A partir daí, pude entender perfeitamente o porquê de tantas meninas estarem interessadas nele: Alem de lindo e simpaticíssimo (até com quem não lhe interessa nem um pouco sexualmente), ele tem uma belíssima voz e é interessantíssimo. (haha, o exagero é proposital).
Daí pensei no meu querido Fred (cito o nome pq hoje é dia de ser explícita). Ele é 'totalmente glutão' (expressão roubada do Rica), desleixadíssimo, charmosíssimo do seu jeito, lírico e... apaixonadíssimo pela vida. Boêmio. Totalmente boêmio. e... Biofísico (?!). A primeira vez que vc o vê. Vc tb acha que ele é sem conteúdo. Glutão desleixado e ponto. E longe de ser só isso.
Dr. Bentinho largou D. Capitolina por deduzir erroneamente que talvez ela fosse como ele, mesmo com os 2 se amando de pequenos e muito.
Tenho certeza que a imagem que eu passo por aí tb não é uma das melhores. E gosto de quem eu sou, mais ainda de quem venho me tornando. E acho que todos deveriam me dar uma chance.

A má impressão, infelizmente vem sem que façamos esforço, e as vezes, junto a ela, vem um ódio infundado, e aí se quebra o amor e automaticamente o respeito pelo próximo. Deveríamos ao menos tentar não odiar ninguém, por mais difícil que isso pareça ser, e isso nos abriria para todo o tipo de experiência inter e intrapessoal. Alias, o primeiro passo para chegar ao amor universal, não é simplesmente o 'não julgar' que pareceu mais apropriado para pôr no titulo, mas é, mesmo com o seu julgamento, seja prematuro ou não, vc permitir que esse seja quebrado e se permitir conviver e co-habitar com aquela pessoa... mesmo que não pareça o tipo de pessoa que vc normalmente iria querer por perto. Você acabará descobrindo nela características lindas.
Quer vc queira, quer não, todos temos características lindas. Só temos que nos deixar perceber. ;D

Wednesday, March 04, 2009

"Por quase um segundo"

As vezes me paro pensando que sinto saudades.
Só as vezes.
As vezes sonho com vc.
As vezes olho pros seus olhos, mesmo que só em fotos, e sinto um sorriso brandir em meus lábios.
Provavelmente é nostalgia... mas deve ser também um pouco de vontade inteligível de estar perto por mais um tempo, nem que fosse pra terminar o que mal começou.
As vezes temo nunca mais olhar pros seus olhos reluzentes, que na verdade nem são tão bonitos assim, mas os que insistiam em me deixar perdida no espaço e principalmente no tempo.
Gostar de conversar com vc parece hoje algo sem fundamento, pela quantidades de instantes que eu te detestei pra sempre, mas lembro com tanto carinho cada vez que me admirava com o que vc falava ou fazia, a ponto de me deixar sem ação e querer mais e mais de vc e cada vez conhece-lo um pouquinho mais com a presunção de um dia te-lo por inteiro.
Lembro com tanta delicadeza cada vez que eu te fazia rir, e cada vez que eu percebia que seria impossível te deixar tonto: "Eu consigo enrolar tão bem todo mundo... pq não vc?".
Lembro dos seus detalhes, seu sorriso de canto de boca, seu piscar de olhos e sua forma nem um pouco sutil de discordar dos meus ideários mais fortes.
Os segundos que te odiei, na verdade foram em vão.
Te gostei mais e mais.
E...
que falta que você me faz.