Sunday, August 31, 2008

.Óde(-e +io). à Alguém

Eu não quero nunca mais ser chamada de sua.
Nem sua amiga, nem sua... seja lá o que for.
Temos ainda diversas coisas em comum mas vc não é mais nada.
Nada.
Nada.
Não usarei mais de nenhum segundo de vc.
Nada.
Nada.
Sei que ainda tenho algumas obrigações com vc. Obrigações. Ponto.
Vc não é nada pra mim.
Se eu pudesse, sumiria pra sempre.
Ou faria vc sumir.
É a única coisa que eu penso agora.
Realmente devo dizer que odeio vc.
Fique longe.
É melhor para nós.
Na vida, a gente tem o que merece.
Nem tudo é reversível.

Sunday, August 24, 2008

"This is the end. My only friend, the End"

"As vezes a gente acha que perdeu pra sempre o unico e grande amor da nossa vida, até que passa algum tempo e você se apaixona novamente. As vezes achamos que sofremos muito, até olhar para o lado e ver tanta pessoa passando fome e morrendo de sede. As vezes agente acha; que nada na vida faz mais sentido.. até o momento em que alguem sorri pra você e você percebe que tem sim, vários motivos para viver. As vezes a gente acha; nem que seja só por um momento que escolheu os amigos errados, até alguem lhe oferecer um ombro amigo e você olha a sua volta e ve o quanto as pessoas que estão do seu lado são especiais. As vezes a gente tem vontade de fazer muitas coisas, agir de várias formas; portanto temos que pensar muito antes disso para não magoar quem mais amamos !" (Luiza Werneck)

As vezes a pessoa certa era justamente aquela que não soubemos cuidar, mas falar isso pra ela seria duro demais.

é estranho namorar... vc cria uma intimidade infinita com alguém. Uma intimidade que ngm pode entrar e nem ngm pode roubar. A traição atrapalha um pouco, mas nada que nao possa ser recuperado. a coisa mais estranha do mundo é quando vc percebe que essa intimidade acaba, e aí sim, meu amigo, não ha mais nada que possa ser feito.

Wednesday, August 20, 2008

"And it's hard to hold a candle in the cold november rain"

Eu fico me perguntando o que seria exatamente a "chuva de novembro". No caso da música, sim, quer dizer uma mera chuva de novembro em que ele percebeu que a chama apaga.... a chama apaga.... a chama se apaga se não estiver numa redoma.... vc vai mexer a mão pra se aquecer e a chama se apaga com o vento, mesmo que não com a chuva....
Mas no sentido "da vida". O que seria a chuva de novembro?
Não acho que se baseie em um fato ou dois... e nem em necessariamente desgaste da relação.
A chama as vezes nem tem a ver só com o sentimento.... as vezes SÓ tem relação com o relacionamento.
As vezes, simplesmente não tem razão. Nem motivo. Nem porquê ter acontecido. E acaba.
As vezes, já deu o que tinha que dar.

E quando não deu?
E quando a chama continua acesa em vc?
E quando não tinha que acabar?

Quando a gente sabe que tem que acabar?

Friday, August 08, 2008

Fuck the World

As pessoas enchem a boca pra dizer "quem se define, se limita" mas é bom se definir, mesmo que não pros outros. É bom saber quem você é e do que vc gosta.

Essas mesmas pessoas que dizem que "quem se define, se limita" são as que mais julgam as outras, mais criticam, e logo, mais limitam (ou tentam limitar) os outros.

Hipocrisia é foda.

Wednesday, August 06, 2008

C2H6O

Estavamos sem nos sentir ha um bom tempo... só nos esbarravamos em festas, e aí, era
loucura, mas eu não me soltava o suficiente. Sempre tínhamos empecilhos para que ele me fizesse "deixar fluir".
Ha uns 5 meses, voltamos a nos ver constantemente.
Me perdi completamente... ele me reerguia toda vez que a minha vida ficava sem sentido e que eu pensava em me matar... e COMO ele me reergueu. Não sei se teria conseguido sair dessa sem ele.

Outro dia, numa conversa interna, ele me disse: " É Sabrina, acho que vc já não precisa mais de mim... está na hora de vc conseguir se virar sozinha, mas não esqueça, estou sempre aqui pra vc e pra todos que precisarem estarei sempre aqui. Ajudarei todas as pessoas que estiverem sofrendo e não conseguirem esquecer. Ajudarei a todos que precisarem chorar e forem estupidamente presos. Continuarei espalhando a minha sabedoria e amor pelos cerebros alheios. Continuarei pelo mundo permitindo que as pessoas que me aceitarem sejam elas mesmas, sem pudores, em pelo menos algum momento da vida. Vc já consegue ser vc sem mim. Desculpa por todo mal que infelizmente tive que fazer ao seu figado... Mas vc sabe que valeu a pena. Voltaremos a nos esbarrar em festas... mas não muito. Voltará a ser como era antes."

e eu respondi: "Pode ir, mas não me esquece. Obrigada pelos beneficios e pelos maleficios que vc me causou... Como eu aprendi sendo eu mesma, o que eu não conseguiria sem você. Obrigada por me deixar feliz em momentos que a tristeza parecia inexorável. Obrigada por me reerguer. Obrigada por me deixar chorar e me escutar e fazer eu me sentir livre."

Eu dei meu ultimo sorriso e ele se foi.

Sei que provavelmente todo sábado devo encontra-lo , mas não o tempo suficiente e nem em quantidade o suficiente. Ele estará salvando a vida de alguma outra vitima recente da tristeza.

Friday, August 01, 2008

Sozinho?

Uma vez, um menino me disse que ficou muito doente e que não chamou ninguém, que não precisou de ninguém e ficou sozinho.

Sozinho? Como assim sozinho? Se sua mãe cuida de vc, vc não está sozinho. Se vc tem alguem pra conversar, vc não está sozinho. Vc está sozinho quando vc não tem mimos ou alguém para marcar ou te levar ao médico e alguém pra comprar seus remédios, levá-los na cama pra vc.
Vc está sozinho quando ninguém te liga no meio da noite só pra saber se vc está bem.
Esse menino me criticou nas vezes que eu disse que me sentia sozinha.
Eu percebi que só me sinto sozinha quando não tem ninguém pra me mimar ou minimamente cuidar de mim, coisa que ele tem sempre e esquece que nem todo mundo tem sempre que precisa.
Quando eu fiquei doente, eu corri pra quem eu sabia que não me deixaria sozinha. Fiquei sendo cuidada e mimada por uma semana. Posso dizer que foi uma semana feliz. Uma semana que eu me senti amada e querida... Uma das melhores semanas e eu não falei nada inteligente e nem fiz nada maneiríssimo.

Eu poderia dizer que não precisei de ninguém, assim como ele, mas sei que não foi assim.