Monday, November 08, 2010

Congratz

Vamos comemorar o que é sacro e secreto. O que está incrustado, enrustido, em cada um de nós. As paredes de chumbo que não se desfazem, se quebram ou se mudam. O que ninguem toca. O que ninguem diz. O que não se vê pela janela. O que não se deixa entrar nem sair.
Isso é o que há em mais lindo. Isso é o que há de mais puro. Isso é o mais humano. Isso é o mais animal. Isso é o mais indivíduo. Isso é o mais tudo-igual.

Sunday, October 24, 2010

"ah, se ao te conhecer

dei pra chorar, fiz tanto os desvarios, rompi com o mundo, queimei meus navios... me diz pra onde é que inda posso ir.
(...)
acho que estás te fazendo de tonta, te dei meus olhos pra tomares conta, agora conta como hei de partir."

Friday, October 08, 2010

Monday, September 27, 2010

Vibes

Enquanto vibro em três,
em camadas
como 3D em papel
você vai andando na vertical, no eixo,
sem entortar nem os quadris
vivo em panorâma de astigmático
sempre fora de foco
você aí, alinhadinha

Na terra vê-se seu rastro preso num gráfico de movimento uniforme...
sem aceleração, sem newtons que não os seus.
certo mas incalculável
fluindo e puntiforme
unindo-se em ponto de fuga.
se eu tivesse um padrão, seria: random
só o vento me leva... o vento e essa tal bioquímico-física.
me dissipo, me moldo e me dissipo outra vez - ditto.

você, toda prática : de semáforos e passarelas, ruas e ruelas, caminhos e paradas que você já aprendeu pela experiência. ponto
eu. poesia e razão : paro quando consigo, continuo quando posso e por onde parece mais viável e razoável. independente de meios, fins e consequencias. reticências.

você, trem e trilhos,
talvez até rios retos, sem afluentes...
com uma correnteza que nem tentem te parar!

eu, espaço sideral...
sem força constante puramente minha...
milhares de dobras e dimensões desconhecidas...
onde tudo pode se criar e se destruir...
e me recriar e me redestruir.

você eros
eu khaos

ambas o principio e o fim.

Friday, September 24, 2010

Vênus Melenis

À une passante

La rue assourdissante autour de moi hurlait.
Longue, mince, en grand deuil, douleur majestueuse,
Une femme passa, d'une main fastueuse
Soulevant, balançant le feston et l'ourlet;

Agile et noble, avec sa jambe de statue.
Moi, je buvais, crispé comme un extravagant,
Dans son oeil, ciel livide où germe l'ouragan,
La douceur qui fascine et le plaisir qui tue.

Un éclair... puis la nuit! — Fugitive beauté
Dont le regard m'a fait soudainement renaître,
Ne te verrai-je plus que dans l'éternité?

Ailleurs, bien loin d'ici! trop tard! jamais peut-être!
Car j'ignore où tu fuis, tu ne sais où je vais,
Ô toi que j'eusse aimée, ô toi qui le savais!



À uma passante

A rua ensurdecedora urrava ao meu redor
Alta e esbelta, toda de luto, majestosa na dor,
Uma mulher passou, a mão vaidosa
Erguendo, balançando a bainha e o festão.

Ágil e nobre, com pernas de estátua.
Eu, crispado como um extravagante, bebia
No seu olho, lívido céu que gera o furacão,
A doçura que fascina e o prazer que mata.

Um clarão... e a noite depois! - Fugidia beleza,
De olhar que me fez renascer,
Será que só te verei de novo na eternidade?

Tão longe daqui! Tão tarde! Talvez nunca!
Pois ignoro para onde vais e não sabes para onde vou.
Ó tu que eu teria amado, ó tu que sabias disso.


(mon cher) (Baudalaire)

Wednesday, September 15, 2010

acordar

O acordar pode ser a coisa mais dolorosa do universo inteiro. nesse caso é exatamente o limiar entre o ter (do sonho) e o nao ter. É o chegar aos objetivos e acordar no vazio do nao, não aconteceu.

deu saudades irracionais.
de tudo.

isso cansa, energeticamente.

Friday, August 20, 2010

Em excesso

"oh the moon's too bright
the chain's too tight...



the beast won't go asleep"


e isso já perdura belos e desgastantes 6 meses.


Em excesso [2]


falar
sentir
beber
existir

e estragar a minha própria vibe. (e talvez a dos outros tb)

sério, que inferno.

Monday, July 12, 2010

dentro da minha loucura,

tudo o que faço e falo é totalmente justificável e se me contradigo é que naquele instante mudou e não adianta reclamar ou tentar dizer que e porque não devo ou não posso fazer ou mudar... o fato é que sou paradoxal e ponto.




31/07
-> a conclusão que cheguei é que sou mesmo é ambivalente... embora isso não deixe de ser um enorme paradoxo por si só

Monday, June 28, 2010

QUARTA-FEIRA, 20 DE JANEIRO DE 2010

Um belo dia você acorda com uma dor no pescoço. Uma dor nas costas. Seus olhos ardem. Seus músculos ardem. Você tem dificuldades para se lembrar das coisas, você tem dificuldades para acordar. Você tem dificuldades para dormir, para engordar, ou emagrecer, dificuldades em chegar de um ponto ao outro, dificuldades em chegar ao ponto, você perde o ponto, perde tempo. ganha rugas.
Os dias passam, você respira fumaça, bebe água contaminada. Queima a pele do seu rosto pelos raios catódicos do monitor, acende um cigarro, se pergunta até que idade você vai sobreviver.
Pensa em se mudar para o interior. Pensa em parar de fumar. Pensa em comprar roupas novas. Pensa em matar alguém.

Um belo dia você acorda e se dá conta que está cansado.
Você se cansa da cidade, dos carros, das luzes. Você se cansa do lixo, das pessoas, do barulho. Se cansa de não saber para onde ir, se cansa de não ter para onde ir e precisar ir para algum lugar.
Você se cansa de não ter razão, de não ter caminhos, de não ter opções, se cansa de ver sua vida igual a de todos os outros, se cansa de ser de um rebanho sem pastor.
Você se cansa de chefes, deuses, impostos, moda, dinheiro. Você se cansa da sensação de estar desperdiçando seu tempo, você se cansa de não ter tempo algum para disperdiçar.
Você se cansa de viver em um mundo onde quem não está desesperado, está louco. Você se desespera com medo de enlouquecer. Respira fundo, acende um cigarro.
Você se cansa de não saber exatamente do que está cansado. Se cansa do "alguma coisa está errada" que paira sobre o ar desde uma época que você não se lembra.
Se cansa das avenidas, das ruas, das alamedas, das praças, do sol, dos postes, das placas de sinalização, das buzinas.
Você se cansa de amores incompletos, de amores platônicos, de falta de amor, de excesso disso e daquilo. Se cansa do "apesar de". Se cansa do rabo entre as pernas, da sensação de estar sendo prejudicado, se cansa do "a vida é assim mesmo". Você se cansa de esperar, de rezar, de aguardar, de ter esperanças, cansa do frio na barriga, cansa da falta de sono.
Você se cansa da hipocrisia, da falsidade, da ameaça constante, se cansa da estupidez, da apatia, da angústia, da insatisfação, da injustiça, do frenezi, da busca impossível e infinita de algo que não sabe o que é. Se cansa da sensação de não poder parar.

E você não para, até que esteja morto.
POSTADO POR PC SIQUEIRA ÀS 23:49

(link para a postagem original)

Sunday, May 23, 2010

Memória falsa

Eu pensei em fazer uma coisa. Uma coisa que seria pequenina se tivesse sido ha pouco mais de 2 anos. Foi quase como se eu tivesse voltado no tempo. As mesmas emoções afloraram, os mesmos pensamentos, como se nunca tivessem deixado essa estrutura sem estrutura. Quase fiz, pela corrente de memórias que foi gerada. Será que também seriam despertadas em quem recebesse todo o fluxo de qualquer-coisa-inominável que surgiu?

Friday, May 21, 2010

Por que não imaginar um mundo perfeito e harmônico onde tudo faz sentido? Só porque parece que ele nunca vai funcionar? E por que teria problema se não funcionasse? Por que tudo tem que ser lógico e fazer sentido? Por que é tudo tão lotado de conceitos e de -ismos?
Por que ser se podemos apenas estar? Por que buscar uma exatidão se de uma forma tão inexata e inconstante podemos ser pra sempre as pessoas mais felizes do mundo?

Friday, May 07, 2010

Depois de 2 litros...

2 litros de água ladeira a baixo não expressam nada. Eles desceram porque tinham que descer. A gravidade não é algo mágico. É só fato. É só algo que como que tivesse que existir pra manter uma aparência de ordem em meio ao caos...
E tem gente que acredita nela como religião...

Monday, April 19, 2010

Não

é incrível como é fácil.
acho que não ha nada mais facil do que fingir, mentir, omitir, enrolar, desconversar, manipular...
acho incrível tb como as palavras tem uma conotação totalmente diferente do que se passa realmente dentro do que fala, dentro do que ouve, dentro do que mente, dentro do que manipula, dentro do que não sabe porque está tão vulnerável, ou do que não sabe o que quer... cada um vê de uma forma totalmente diferente a mesma partícula, tão forte como o sol, tão fraca quanto nossas certezas.

queria que o "não mais" fosse simples como a expressão.
queria que o "não" fosse mesmo nada mais do que a negação do sim.

Thursday, March 25, 2010

Freaking out!

As coisas mudam muito rapido e isso fica mais esquisito quando vc não está perto durante a mudança e de repente volta como se nunca tivesse saído.


(muito tempo depois (05/05/10): a questão toda é que nunca dá pra voltar como se nunca tivesse saído)

Tuesday, March 23, 2010

Be funny, be smart, be a bad guy

Finjam que leram uma piada e dêem um sorriso.
Nossa, como eu sou genial falando do mundo! Meus comentários são super inteligentes, bem bolados e originais. Minha escrita é autêntica, seguindo quase estritamente a norma culta, com liberdades e neologismos muito bem colocados para me dar um ar mais ousado.
Meu corte de cabelo é moderno, corto no werner e passo uma pomada da redken que minha mãe comprou todo dia de manhã. Ele fica exatamente como eu gosto!
Faço admininstração e meu pai tem dinheiro então nem tenho que pensar em trabalho e posso me entregar a boemia burguesa ainda o tempo necessário.
Sou um bad boy, curto cannabis, tomo doces algumas vezes por ano, roupas rasgadas que me dão aquele ar descolado que as meninas adoram... faço comentários engraçados e aparentemente nunca pensados antes sobre fatos normais do dia a dia: Já perceberam como o mendigo bêbado da esquina está sempre fedendo a suor seco... e o mais impressionante... a alcool?
Só ouço psico-scientific-jazz (ah, que pena que vocês não conhecem...) e só leio clássicos como Nicolai Leskov , aquele livro dele que fala de um homem é fantástico. Best Seller é coisa de mente vazia. Rock? Barulho mainstream...
Seria a melhor experiencia já vivida conhecer alguem como eu, porque nesse mundo padrão e massificado, finalmente haveriam coisas interessantes a serem ouvidas.
Mulher pra mim é deliciosamente avassaladora nos cantos e comportadíssima aos olhos de quem a vir. Mulher pra mim tem que ser minha... Mas nem pensar comemorar dia dos namorados, pagar o jantar ou dar flores... Os dias de hoje são de igualdade de gêneros! Machismo é algo inadmissível.
Admiro muito Nitch. Acho que o que ele escreve ninguem nunca escreveu igual. Li muito sobre ele. Só acho Kant mais interessante, porque o Kant é mais inovador, mas Aristóteles e aquelas ideias de Metafísica, sei que é tudo baboseira, meu professor de jornalismo me contou.
Sou 100% inteligente e racional. Ah, isso com certeza sou. Nunca especulei nada que não fosse comprovado cientificamente, nunca cogitei nenhuma idiotice e não falo como esses adolescentes sem vocabulário da minha idade física, a não ser que me inspire algum tipo de dissertação.
Sou extremamente cruel e ninguem tenta se por no meu caminho, as pessoas me respeitam e eu posso rir de quem eu quiser, o quanto eu quiser e não sou julgado ou tratado mal.
Sei que nasci maduro demais. Sei que sou demais pra esse mundo.
Estou para virar um ermitão e espero assim, finalmente ter qualidade de vida, proximo ao que realmente é digno da minha companhia.

Thursday, March 18, 2010

Ser humano não parece justo...

Felicidade emburrece
Tristeza emburrece
Sabedoria entristece.
Burrice alegra e enrubesce.

Wednesday, March 17, 2010

Nem Tudo

"Nem tudo que reluz corrompe, nem tudo o que é bonito aparenta, nem tudo o que infalível se aguenta, nem tudo o que ilude mente, nem tudo o que o que encaixa é pra sempre, nem tudo o que se diz tá dito e nem tudo o que não é você é esquisito... nem tudo o que acaba aqui deixa de ser infinito"
(Zelia Duncan - Nem Tudo)



E nem tudo precisa ser (de) verdade

Friday, February 26, 2010

Chega a ser hilário de tão ridículo...

Nós usamos muito menos do que somos capazes, falando de corpo, cerebro e "espirito"...
E quanto menos usamos menos queremos usar...
Geração em geração... as pessoas vão ficando mais inteligentes (em nível de QIs) porém menos questionadoras, menos exploradoras de si e do universo e mais fúteis.
De que adianta inteligência se há preguiça de refletir?
De que adianta inteligência se toda a energia é voltada somente para questões exteriores de lazer alienado (em todas as possíveis esferas de significado que a palavra "alienado" pode ter)?
Aos poucos vamos nos tornando alheios a nós mesmos - nossa força de trabalho já o é há muito tempo, e com ela, nossa atenção se torna alheia - resultando em seres totalmente voltados pro externo e conseqüentemente paramos de ligar para o que nos é real (como diz Berkeley ) focando apenas numa ilusão que se torna real (em linguagem mais simples... vivemos a vida da mocinha da novela e ganhamos com o nosso time de futebol).

Es ist nicht das Boheme-Leben.

Thursday, February 04, 2010

filosofia, filosofia

"pensar é lindo e utiliza autonomia"



ai ai ai, nunca mais terei a chance de me esquecer dessa musica...

Sunday, January 24, 2010

Don't Stop Believin' - Journey

Just a small town girl, livin' in a lonely world
She took the midnight train goin' anywhere
Just a city boy, born and raised in South Detroit
He took the midnight train goin' anywhere

A singer in a smoky room
The smell of wine and cheap perfume
For a smile they can share the night
It goes on and on and on and on

Strangers waiting, up and down the boulevard
Their shadows searching in the nights
Streetlights, people, living just to find emotion
Hiding, somewhere in the nights

Working hard to get my fill,
Everybody wants a thrill
Payin' anything to roll the dice
Just one more time

Some will win, some will lose
Some are born to sing the blues
And now the movie never ends
It goes on and on and on and on

Strangers waiting, up and down the boulevard
Their shadows searching in the night
Streetlights, people, living just to find emotion
Hiding, somewhere in the nights

Don't stop believin'
Hold on to that feelin'
Streetlight, people